28 de maio de 2010

EB1 Aguiar - De lagartas a borboletas


Com a leitura "O desejo da lagartinha" e depois da oferta da escritora Conceição Sá de duas lagartas, ficámos entusiasmados em aprender mais coisas sobre as borboletas e até fizemos alguma pesquisa.









As lagartas nascem dos ovos postos por borboletas adultas. As lagartas alimentam-se das folhas novas e tenras das plantas em que vivem. Muitas vezes se na mesma planta existir muitas lagartas, estas acabam por destruir a planta porque comem muito. As lagartas quando atingem a fase adulta entram numa metamorfose, fechadas numa pele seca e dura. Depois de algum tempo começam a libertar-se da crisálida onde estiveram adormecidas,
saindo já transformadas em borboletas. (Ana Isabel)




A borboleta cauda de andorinha ou papilio machaon enquanto lagartas alimentam-se de arruda e funcho. São muito bonitas, "apresentam um fundo amarelo com nervuras e bandas negras na asa anterior. A asa posterior possui uma banda azul com um ocelo alaranjado e termina em cauda pontiaguda. É frequente encontrar as lagartas no Outono e no estado de crisálida esta é uma espécie hibernante. "

27 de maio de 2010

EB1 Aguiar - Visita de escritora



Hoje, dia 27 de Maio, uma escritora veio à nossa escola. O seu nome é Conceição Sá e veio apresentar o seu primeiro livro " O golfinho e a estrela". É um livro com várias histórias, das quais já lemos "O golfinho e a estrela" e "O desejo da lagartinha".



Durante a visita da escritora foi projectada a história que dá o título ao livro, trabalho que foi realizado pelos alunos do 4º ano e do qual gostámos muito. Sobre "O desejo da lagartinha" fizemos um pequeno livro com ilustrações nossas e com as nossas opiniões sobre a história, que oferecemos à escritora.





Os meninos do Jardim de Infância também estiveram presentes e ofereceram um lindo trabalho cheio de borboletas juntamente com um ramo de flores.






Fizemos algumas perguntas e ficámos a saber que a Conceição Sá é natural de Barcelos e que embora resida numa freguesia do concelho de Viana do Castelo, ainda gosta muito de Barcelos. Ela é professora de Biologia, por isso nos seus livros fala sobre animais e outros aspectos da ciência. Também nos disse que quando andava na escola primária o que mais gostava era de ouvir as histórias que a professora contava.







Como no livro fala de uma lagarta, a escritora ofereceu-nos um vaso com uma planta e duas lagartas para nós acompanharmos a sua transformação.


Gostámos muito de conhecer uma pessoa que escreve livros e para ela, um beijinho de agradecimento.










EB1 Aguiar - Visita de escritora

25 de maio de 2010

A Escola Móvel de Trânsito em Tamel S. Pedro Fins

No dia 17 de Maio tivemos uma sessão temática sobre a segurança rodoviária. A Ivone e o Nuno, que fazem parte da Escola Móvel de Trânsito, vieram à nossa escola falar sobre este assunto.
Na primeira parte da sessão vimos um filme, onde aparecia um extraterrestre chamado Renato, que nos relembrou os cuidados que devemos ter na estrada. De seguida jogámos um jogo no computador em que tínhamos de identificar os comportamentos certos e errados das personagens na estrada. Obtivemos a pontuação máxima!
Depois de lancharmos, fomos para o ringue, que é um campo de futebol e fica perto da nossa escola. No ringue estavam montados vários sinais de trânsito para que tudo se parecesse com estradas.
Primeiro demos uma volta e o Nuno explicou-nos o que significavam cada sinal. Já estávamos então preparados para andar de bicicleta, protegidos pelo capacete, é claro!
Nós gostámos desta sessão, principalmente andar de bicicleta.



18 de maio de 2010

EB1 Aguiar - Visita de estudo ao CMIA

Juntamente com os meninos do Jardim de Infância, fizemos uma visita de estudo ao CMIA - Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental, em Viana do Castelo.
Antigamente o CMIA era um moinho de maré. A monitora explicou que quando a maré está alta, a água salgada mistura-se com a água doce do rio, ao que se dá o nome de água salobra. No centro existem vários tipos de animais como: a rã,o caranguejo, o pisco, o pato-real, a garça-branca-pequena, a garça-real e peixes. Durante o percurso pedonal havia cabines para observação dos animais e equipamentos para fazer exercício físico.O Centro também tem árvores e plantas de zonas pantanosas como: o carvalho, o salgueiro, o pinheiro manso, o amieiro, o lírio-amarelo-dos-pântanos, o junco,a tábua-larga e o caniço. No fim fomos visitar o parque infantil, a horta, o espaço da leitura, o parque de merendas, o museu, a biblioteca e o laboratório. Também havia uma exposição cujo título era " A campanha da resina ", que tinha materiais e a explicação de como se tira a resina do pinheiro.
Adoramos ir ao CMIA.
Alunos do 3º ano

12 de maio de 2010

E, desta vez, os mini-padeiros...

No dia 5 de Maio, fomos para a casa da D. Eva, que é auxiliar na nossa escola e é mãe do nosso amigo Henrique, aluno do 4º ano, enquanto os alunos do 4º ano faziam a prova de aferição de Língua Portuguesa. Fomos a pé para a sua casa para fazermos broa.
Quando lá chegámos, a Dona Eva disse-nos os ingredientes que eram necessários: farinha milha, farinha centeia, farinha triga, fermento e água morna.
A Dona Eva misturou todos os ingredientes com as mãos até fazer uma bola de massa. Depois fez uma cruz no centro da massa para abençoar o pão. De seguida aqueceu uma toalha no forno e colocou-a em cima da massa para a ajudar a levedar. A massa ficou a levedar durante uma hora.
Entretanto fomos ver um pavão, duas pavoas e as galinhas, andámos de baloiço, jogámos matraquilhos e à bola e lanchámos.
Ao fim de uma hora, a massa já estava pronta para fazermos as broas. A Dona Eva colocou um pouco de farinha na pá e na gamela. Depois pôs um bocado de massa na gamela e nós agitámo-la para que a massa ficasse com a forma de uma broa. Com a pá, a Dona Eva meteu as broas no forno a lenha. De seguida tapou o forno e, com a massa que sobrou, pôs à volta da tampa para o calor não sair. As broas cozeram durante uma hora.
Enquanto isso, nós fizemos um desenho sobre esta actividade.
No intervalo das 15h30 comemos a broa. Estava bem gostosa!
Nós gostámos muito desta actividade, porque aprendemos a fazer broa e, ao mesmo tempo, foi divertida. E, desta vez, saímo-nos uns bons padeiros!

Os alunos do 1º,2º e 3ºanos





EB1 de Aguiar - Dia da Mãe



Para o Dia da Mãe, bordámos um lenço, lembrando os antigos lenços dos namorados.
Este trabalho teve início no dia de S. Valentim, quando o professor Pedro Brandão veio à nossa escola falar desta tradição. Ficamos a saber que "a rapariga bordava um lenço para um rapaz de quem gostava e caso este o aceitasse e usasse ao pescoço ou no casaco, o compromisso entre os dois estava assumido com vista a um futuro casamento. Se o rapaz não estava interessado na rapariga, devolvia-lhe simplesmente o lenço." Muitos destes lenços apresentavam erros de ortografia porque as raparigas limitavam-se a copiar os desenhos e muitas vezes nem sabiam ler.
Foram projectadas imagens de lenços e em alguns apareciam versos muito bonitos, como:


A carta que eu te escrevo
Sai-me da palma da mão.

A tinta sai dos meus olhos

e a pena do coração.



Escreve-me, amor, escreve

Lá do meio do caminho.

Se não achares papel

Nas asas de um passarinho.



Depois foi só escolher um belo desenho e aprender a bordar com as nossas professoras.



Não foi fácil mas chegámos lá, e as nossas mães gostaram muito do nosso trabalho.


Querem ver?